Veja também

Os benefícios da terapia holística

(Português do Brasil) A compreensão sobre a nossa saúde mudou! Hoje entendemos que além da saúde física, a saúde mental e a emocional são muito importantes. E que todas as áreas da nossa vida estão conectadas, portanto, quando uma não está em equilíbrio, pode afetar a outra.

Você sabe o que é o mieloma múltiplo?

(Português do Brasil) O mieloma múltiplo não é um câncer comum; estima-se que ele afeta 7 a cada 100 mil pessoas. E o pior: os sinais desse tipo de câncer são confundidos com outras doenças. Veja mais:

Amigdalite afeta crianças e adultos

Todo ano, cerca de 600 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com amigdalite, que corresponde à inflamação das amígdalas, que são gânglios linfáticos presentes no fundo da garganta e que têm como função defender o organismo contra infecções bacterianas e virais.

As amigdalites são mais frequentes em crianças, mas também podem ocorrer em idade adulta. Entre as doenças da garganta, ela é a mais prevalente.

Classificação

Amigdalite bacteriana
Causada pela infecção de bactérias, a manifestação mais comum dessa forma da doença é a amigdalite estreptocócica causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, mais conhecida como estreptococo do grupo A. As amigdalites bacterianas exigem um tratamento mais específico, com antibióticos.

Amigdalite viral
A amigdalite viral é o tipo mais comum, sendo causada pela infecção de vírus nas amígdalas. Para essa manifestação da doença, o tratamento pode ser feito em casa à base de medicamentos e cuidados simples.

Amigdalite crônica
A amigdalite crônica são infecções recorrentes, causando dor de garganta crônica, mau hálito e nódulos cervicais persistentes. Neste tipo, podem acontecer até sete episódios de amigdalite em um ano.

Amigdalite aguda
Apesar do tratamento, a amigdalite aguda dura até duas semanas ou mais. A amigdalite aguda causa a obstrução das vias aéreas devido as amígdalas inchadas, ocasionando dificuldade na respiração, ronco e apneia do sono.

A amigdalite é um processo contagioso, ou seja, que se transmite ou se “pega” de pessoa para pessoa. A doença é transmissível através da tosse, espirros ou através da transmissão de gotas de saliva.

No caso das crianças, este contágio pode ocorrer pelo uso de brinquedos contaminados e compartilhados.

O diagnóstico é feito, geralmente, por observação médica da cavidade oral e constatação do processo inflamatório na garganta. Na maioria dos casos não é necessário exames complementares, a não ser no caso de suspeita de complicações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*.







Este site usa cookies. Os cookies neste site são usados ​​para personalizar o conteúdo, fornecer recursos de mídia social e analisar o tráfego. Além disso, compartilhamos informações sobre o uso do site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise da web, que podem combiná-las com outras informações que você forneceu a eles ou que eles coletaram do uso de seus serviços.
Concordo